21 de setembro de 2010

An (em) Miranda

Eu fui a Miranda (do Douro) e não vi os pauliteiros (por pouco)...
Mas amei, cheirava à nossa cultura; à nossa essência; às nossas raízes. Lemos a nossa 2ª lhéngua (língua) oficial nos livros, nas placas toponímicas, nos folhetos turísticos; passeamos no Douro internacional num cruzeiro ambiental com respeito pelo silêncio que se impõe em zona protegida e casa de aves imponentes como o grifo e a águia real ou a cegonha negra. Pressentimos o orgulho na voz e a simpatia nos olhos. Saboreámos gastronomia típica, rica.
Sentimo-nos tão bem em sítios assim,  amamos sempre mais um pouco este nosso país quando fazemos descobertas destas. 
Partilharei aqui algumas imagens em breve.

2 comentários:

  1. Olá!
    Aí está uma zona do país que conheço muito mal. Tenho que resolver isso porque deve ser lindíssimo!
    Beijinhos e espero pelas fotografias

    ResponderEliminar
  2. Já vou conhecendo um pouco deste nosso país e não há dúvida que há sítios onde nos sentimos melhor acolhidos que noutros.
    Miranda do Douro é sítio onde poderia passar a velhice, a ouvir música, fotografar, comer a deliciosa posta à mirandesa e beber um copinho de vinho do Porto. Depois do vinho até Mirandês era capaz de falar!

    ResponderEliminar