6 de outubro de 2010

Atentados urbanísticos

O antigo Teatro Avenida de Coimbra




foi atentatoriamente demolido (talvez em finais dos oitenta, inicio dos noventa porque ainda me recordo bem) para a construção de um centro comercial que nunca foi bonito ou arquitectonicamente interessante, nunca foi muito popular em termos de comércio mas tinha 3 salas de cinema e estava, por isso, sempre cheio até uns 6/7 anos atrás. Agora continua lá, qual impostor, ocupando um espaço que não lhe pertencia, continua feio e sem interesse urbanístico e pior, também ele desértico, sem cinema, salas fechadas, uma desolação.


A cidade perdeu a oportunidade de renovar uma belíssima sala de espectáculos clássica, perdeu-se nos meandros dos interesses imobiliários e nada mais se fez. Dolce Vita - cinema; Forum - cinema; um ou outro espaço alternativo de pequenas dimensões e é tudo e é pena. Não há um espaço de espectáculos condigno. O Teatro Académico de Gil Vicente vai cumprindo a sua função mas o palco é exíguo para determinadas apresentações e as condições gerais estão longe de ser boas.
Se há coisas que me entristecem na minha adorada cidade esta é uma delas e parte-se-me o coração de cada vez que passo por esta Avenida.
E o pior é que não é caso único na cidade, nesta e em muitas outras.

4 comentários:

  1. É uma pena mesmo. E basta uma pequena caminhada por algumas ruas de Coimbra para vermos edifícios lindíssimos deixados ao abandono, ou ocupados mas desprezados. As nossas autarquias deviam colocar os olhos no exemplo dado pelos nossos vizinhos espanhóis, que sabem bem valorizar o seu património.

    ResponderEliminar
  2. Pois é Hugo, faz-me lembrar sempre o Cinema Paraíso na cena da demolição...

    ResponderEliminar
  3. Com muita pena minha não cheguei a conhecer o teatro (fui viver para Coimbra em 1992).
    Para mim o Avenida/Centro Comercial representa muito: foi lá que andei a primeira vez de elevador, a primeira vez que fui ao cinema, e, mesmo depois de terem aberto os outros centros comerciais, sempre gostei muito de lá ir ao cinema, as salas podiam não ser tão boas como as modernas mas com o Avenida morreu um tipo de cinema que não passa nos shoppings, o europeu, que eu sempre gostei muito!( tem em conta que já deixei Coimbra há quase dois anos por isso não sei a situação actual, sei que o Gil Vicente passa cinema que estreia a nivel nacional mas que não estreia nos meios comerciais de Coimbra).
    Embora sempre tenha achado o Avenida muito feio a nivel arquitectónico foi com muita pena que o vi a morrer, as lojas a "desaparecerem", as escadas rolantes a ficarem negras, e o perigo que sentia cada vez que lá ía!
    Obrigada pela lembrança/nostalgia.
    Espero que a CM lhe dê um bom destino.

    ResponderEliminar
  4. Ana, passei lá no fim de semana, entrei pela parte de cima e desci tudo até à Sá da Bandeira e não imaginas como está. As escadas rolantes já nem funcionam ou pelo menos nem todas e não sempre, todas as lojas fechadas. só subsistem cafés e cabeleireiros e todo o aspecto é bastante degradante e duvidoso. Mete dó olhar para as vitrinas outrora coberta de cartazes dos filmes agora vazias. O TAGV continua a passar cinema de autor mas não regularmente. Também adorava a oferta do cinema alternativo que o Avenida oferecia e passei lá muitas horas. É mesmo muito triste...

    ResponderEliminar