28 de julho de 2011

A justiceira que há em mim

Dou por mim a imaginar vestir-me toda de preto, colocar uma longa cabeleira ruiva e dentro da carteira só um punhal, reluzente. Imagino-me a rodear um carro topo de gama e com calma, estilo (nunca se sabe quando está uma câmara apontada a nós) e precisão cirúrgica, furar-lhe os quatro pneus, daqueles muito bons, muito caros.

Acho que vi muitos episódios d'O Justiceiro e da Missão Impossivel em criança

2 comentários:

  1. Quem nunca quis encarnar essa figura? E há pessoas que até merecem que nos transformemos em justiceiras requintadas!! ;)

    ResponderEliminar
  2. Malena - É verdade! E se eu imagino isto é porque até conheço alguém que merecia... ;)

    ResponderEliminar