11 de julho de 2011

Sentido único

Não há volta a dar. Há momentos que não se apagam nem são passíveis de compensação à posteriori. Vivemos numa estrada com sentido único, podemos procurar a rotunda mais próxima para inverte-lo mas o conta-kilometros não volta atrás. 

3 comentários:

  1. Uma grande verdade, os passos dados e a palavra dita não voltam atrás... muitas vezes infelizmente.
    beijo

    ResponderEliminar
  2. Como a palavra proferida em fúria...

    ResponderEliminar