28 de outubro de 2013

Abalroada todos os dias

Por volta das 9h30, depois de alimentar, preparar e vestir dois polvinhos frenéticos; acordar e fazer levantar um preguiça lindo, pôr gotas e pomadas à (hipocondríaca) avó e pelo meio ainda conseguir vestir-me (às pinguinhas) e apanhar o cabelo (essa parte do "uniforme" já está instituída há muito), e de deixar tudo entregue, já me passou um comboio por cima. Depois lá me arrasto até conseguir tomar o pequeno almoço e ganhar mais uma vida.

5 comentários:

  1. Mulher tu és uma heroína, eu não conseguia, juro que o mais provável era dar em maluca em pouco tempo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas qual heroína qual quê, não tenho é alternativa !

      Eliminar
  2. É preciso ser-se uma grande mulher.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É preciso é ter que ser e pronto tem que ser assim :)

      Eliminar
  3. Tens mesmo força. Eu sei que qualquer mãe faz tudo pelos seus filhos, mas às vezes sinto-me tão cansada mesmo sem ter filhos... Ufa.

    ResponderEliminar