13 de janeiro de 2014

Querido diário

Há muito que me debato com uma questão: diários antigos, guardar ou não guardar? Fecho-os numa mala, queimo-os, rasgo-os...
Tenho diários escritos desde os 12 anos e pergunto-me agora o que fazer com eles. Se por um lado não consigo imaginar desfazer -me deles por outro não sei se quero preserva-los. Não sei se me agrada a ideia dos meus filhos um dia lerem a mãe enquanto mulher, saberem das minhas inseguranças, dos sonhos passados, das frustrações... Não consigo decidir o que fazer com os meus queridos diários.

4 comentários:

  1. Destruí-los seria como uma mutilação. Eles são parte de quem os escreve. Assim me parece. :)

    ResponderEliminar
  2. As minhas agendas são uma espécie de diário, eu guardo. logo se vê.

    ResponderEliminar
  3. Eu destruí mesmo por esse motivo, mas cada um sabe de si :)

    ResponderEliminar