4 de março de 2013

reencontros

Vi-o à minha frente, parado, de costas voltadas. Só precisei de uns segundos para confirmar que era ele, a mesma sobriedade, a mesma robustez. Trouxe-me saudade e recordações, apeteceu-me ve-lo mais de perto, tocar-lhe, saber por onde tem andado e se está bem mas achei melhor não, passado é passado. Mas gostei de o ver. O primeiro carro do meu marido, o que tinha quando nos conhecemos e onde começamos a namorar, aquele VW comercial cinzento que há-de ficar para sempre nos nossos corações!

5 comentários: